casos de SRAG

Novo relatório semanal do sistema que monitora casos reportados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no Brasil confirma tendência de crescimento no número de casos por mais uma semana, após a inserção dos dados da semana 14, que vai de 29 de março a 4 de abril. De acordo com o sistema coordenado pela Fiocruz, a atividade semanal em todo país permanece muito alta e todas as regiões são consideradas de alto risco, com índices muito acima do histórico registrado para esta época do ano.

A tendência de alta é menos acentuada do que aquela observada nas semanas 11 e 12, mas ainda não indica estabilização e exige cautela. O atraso nas notificações dos casos, que precisam ser registrados no banco de dados pelas unidades de saúde, pode interferir nos resultados, que são calculados por estimativas que depois confirmadas pelos os dados consolidados. “O tempo entre os primeiros sintomas e posterior registro do caso no banco de dados mostrou-se importante para a aparente estabilização do número de casos na semana 13, relatada no boletim anterior”, explica o pesquisador do Programa de Computação Científica da Fiocruz (Procc/Fiocruz), Marcelo Gomes. Os dados atuais mostraram-se mais próximos ao cenário apontado pelo limite superior da estimativa fornecida naquela semana. “Isto reforça a cautela quanto à interpretação de dados muito recentes, como destacado no boletim anterior”, reafirma Gomes, que também coordena o InfoGripe.

crescimento de casos de SRAG
Crescimento de casos de SRAG

Até o momento, o Brasil teve um total de 26.062 casos já reportados de Síndrome Respiratória Aguda Grave no ano. Os casos de SRAG são de notificação obrigatórios e incluem hospitalizações de pacientes que apresentaram sintomas como febre, tosse ou dor de garganta e dificuldade de respirar e óbitos de pessoas que apresentaram esses sintomas, mesmo que não tenham sido hospitalizados. Este quadro pode ser resultado de vírus respiratórios, como o vírus da influenza e o novo coronavírus. Dos 4.828 casos (19% do total) que tiveram resultado laboratorial positivo para algum vírus respiratório, 60% foram identificados como Covid-19, enquanto Influenza A e B representa 7% e 6%, respectivamente. Ainda há 3.846 casos (15%) com resultado negativos para esses vírus e, ao menos, 15.107 (58%) aguardando resultado.

O percentual de Sars-CoV-2, o vírus responsável pela Covid-19, entre os casos de SRAG com resultado laboratorial positivo para algum vírus tem crescido a cada semana. Eram 3% na semana 8 do boletim (de 16 a 22 de fevereiro) e na última semana somaram 86% dos casos positivos, o que indica grande prevalência do novo coronavírus entre os novos casos.
O relatório do grupo destaca que o panorama apresentado pelo sistema, com manutenção da tendência de crescimento do número semanal de casos de SRAG, atividade semanal considerada muito elevada, aliado ao alto percentual de detecção de Covid-19 entre os casos com teste laboratorial positivo, sugere a necessidade de manutenção das recomendações de isolamento social para evitar demanda hospitalar acima da capacidade de atendimento. “A aparente desaceleração ainda é muito leve e é preciso que as medidas sejam mantidas para que nosso sistema de saúde não seja sobrecarregado”, reforça o coordenador do sistema.

crescimento de casos de SRAG
Crescimento de casos de SRAG

InfoGripe

O InfoGripe é uma iniciativa para monitorar e apresentar níveis de alerta para os casos reportados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan). Os dados são apresentados por estado e por regiões de vigilância para síndromes gripais.

O produto é fruto de uma parceria entre pesquisadores do Programa de Computação Científica da Fundação Oswaldo Cruz (Procc/Fiocruz), da Escola de Matemática Aplicada (EMAp) da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e do GT-Influenza da Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde (GT-Influenza/SVS/MS).

Julia Dias
Agência Fiocruz de Notícias

Pin It