Saúde

inflamação na articulação temporomandibular

Graças a uma nova formulação injetável, pesquisadores brasileiros conseguiram aumentar a eficácia e o tempo de ação de um medicamento comumente usado no tratamento de inflamações articulares. A inovação envolve nanopartículas lipídicas contendo uma alta concentração do princípio ativo, que é liberado paulatinamente dentro da articulação afetada mantendo o efeito desejado por até 10 dias, sem necessidade de reaplicações.

Em artigo publicado na revista Scientific Reports, cientistas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) descreveram testes da metodologia feitos com o anti-inflamatório naproxeno em ratos com inflamação na articulação temporomandibular (ATM) – responsável por ações como abrir a boca e mastigar alimentos. O estudo foi apoiado pela FAPESP por meio de um Projeto Temático.

Os resultados

mães e crianças com zika

“Eu descobri que estava grávida. Depois de um tempo, vi meu rosto todo pintado. Fui na emergência. Os exames não deram nada. Somente fazendo o pré-natal foi que eu descobri que a cabeça dela [da filha] era menor que o normal”. “A pediatra dele [do filho] disse que percebeu que a cabecinha dele não estava crescendo no tamanho certo e me encaminhou pro Hospital Antonio Pedro. Eles fizeram o exame e aí foi acusado uma calcificação no cérebro dele”.

Relatos como o de Kamila Mitidieri, mãe da pequena Sophia, de dois anos e nove meses, e de Jéssica Galdino, mãe do serelepe Miguel, de três anos, se espalharam pelo país desde o início da epidemia

Novartis e Fiocruz

O Grupo Novartis e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) assinaram, no Rio de Janeiro, um memorando de entendimento para formalizar a intenção de cooperação das duas instituições em projetos de ensino, pesquisa e desenvolvimento tecnológico para combater doenças negligenciadas, como hanseníase, mal de Chagas, malária e anemia falciforme. A parceria contempla a elaboração e a execução conjunta de iniciativas em investigação em saúde e o intercâmbio acadêmico de pesquisadores e alunos, além de priorizar o compartilhamento de informação e documentação técnica, organização de conferências e publicação de artigos científicos. A pesquisa será em parceria com centros clínicos da América Latina.
 
“A Novartis está comprometida a contribuir para a erradicação dessas enfermidades e para gerar um impacto

vitamina A

O Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz) acaba de doar para o Ministério da Saúde 3 mil frascos para que seja realizada a individualização das doses de vitamina A que serão administradas em crianças com sarampo. O medicamento, que já é distribuído na rede pública de saúde pelo Componente Estratégico da Assistência Farmacêutica, para o Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A, foi incluído no protocolo para a doença com vistas à minimização de complicações decorrentes dessa infecção. Neste sentido, a doação das embalagens tem como objetivo oferecer a quantidade exata de cápsulas a ser fornecida aos pacientes, o que facilita a administração e, consequentemente, a adesão ao tratamento.

De acordo com o protocolo do

Especialistas de diversos centros de pesquisa

O inverno já passou, mas a vigilância das doenças cujo pico de transmissão ocorre na estação mais fria do ano não para. De olho no histórico dos dados epidemiológicos de Influenza e buscando antecipar possíveis cenários, cerca de 20 especialistas de diversos centros de pesquisa e saúde do país se reuniram na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) na última sexta-feira (4/10). O Laboratório de Vírus Respiratório e do Sarampo do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) foi o anfitrião da iniciativa.

Dentre os presentes, estava o diretor do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis (Devit) da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Julio Croda. Participaram, também, representantes da Coordenação-geral de Laboratórios de Saúde Pública e

células CAR T

Médicos da USP aplicaram pela primeira vez imunoterapia que usa células T do paciente para tratar linfoma gravíssimo

Um funcionário público aposentado de 63 anos, morador de Belo Horizonte, chegou ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP, no interior de São Paulo, com um quadro de saúde gravíssimo. Lutando contra o câncer desde 2017, ele já havia passado por radioterapia e quimioterapia, sem sucesso. A batalha parecia fadada à derrota quando os médicos conseguiram autorização para tentar uma nova terapia, que levou à remissão total da doença. Foi assim que o aposentado se tornou o primeiro paciente da América Latina tratado com células CAR T.

“Esse paciente é portador de

eLife Sciences

A tuberculose pulmonar é a principal causa de morte por infecção e atinge uma a cada quatro pessoas no mundo. A comorbidade por diabetes é uma condição que faz com que indivíduos desenvolvam tuberculose com hiper-inflamação e maior facilidade do que com outros indivíduos sem essa condição crônica. A forma em que o tratamento contra tuberculose interage com a diabetes ainda não é amplamente estudado.

Uma investigação desenvolvida através de uma parceria entre a Fiocruz Bahia e instituições presentes na Índia, Estados Unidos e Brasil, liderada pelo pesquisador da Fiocruz Bahia, Bruno Bezerril, e pelo pós-doutorando do Programa Nacional de Pós-Doutorado (PNPD/Capes), Kiyoshi Fukutani, analisa a resposta ao tratamento contra tuberculose em pacientes sem e

sansão-do-campo

Os fungos do gênero Candida causam uma doença bastante comum em humanos, a candidíase ou monilíase. Em pessoas com baixa imunidade, principalmente em ambiente hospitalar, a infecção pode ser mortal. Embora o medicamento mais usado para combatê-la seja eficiente em grande parte dos casos, algumas variedades do patógeno apresentam resistência.

Agora, pesquisadores do Brasil e da Espanha conseguiram isolar compostos presentes no sansão-do-campo (Mimosa caesalpiniifolia) – uma planta do Cerrado também conhecida como cerca-viva – que combatem duas espécies de Candida. A ideia é criar uma pomada que possa ser usada como alternativa ao fluconazol, antimicótico há mais de duas décadas considerado a melhor alternativa contra a candidíase. A infecção pode causar coceira e dor

hipertensão

Voluntárias passarão por avaliação física e farão exames gratuitamente, em São Paulo; pesquisa vai avaliar os efeitos de uma sessão de exercício

Um estudo de mestrado da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), em São Paulo, recruta mulheres em período pré-menopausa para participar de estudo. O objetivo é avaliar os efeitos de uma sessão de exercício aeróbio na pressão arterial de voluntárias hipertensas e com artrite reumatoide.

As selecionadas deverão comparecer três dias no Laboratório de Avaliação e Condicionamento em Reumatologia (Lacre), localizado no 4º andar do Prédio dos Ambulatórios do Hospital das Clínicas da FMUSP – Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 255, Cerqueira César, São Paulo-SP.

No primeiro dia, será realizado teste ergoespirométrico

pesquisador Ricardo Ximenes

O Consórcio Nacional de Coortes* de Zika (Crianças e Gestantes) se reuniu (1º e 2/10) na Fiocruz Pernambuco. Estruturada dentro da Rede Nacional de Especialistas em Zika e Doenças Correlatas (Renezika), a iniciativa reúne 22 grupos de pesquisas, provenientes de todas as regiões do país. As equipes que o integram foram selecionadas através de Chamada Pública, realizada em 2016, pelo Ministério da Saúde. A Renezika é coordenada pelo Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (Decit/SCTIE/MS).

“A criação do Consórcio veio atender a uma necessidade do Ministério da Saúde de agregar dados mais robustos e realizar uma análise mais profunda dos dados colhidos pelos diferentes grupos de pesquisas de coorte

Fiocruz inaugura laboratório

O Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz) deu um importante passo na sua capacidade de análise de amostras clínicas, com a inauguração (20/9) do Laboratório de Virologia para Análise de Amostras Clínicas. O espaço é resultado do acordo de codesenvolvimento da vacina inativada para dengue com a GSK. A iniciativa do desenvolvimento da vacina foi descontinuada em 2017, porém o projeto visa adicionalmente a capacitação de Bio-Manguinhos em diversas frentes, como infraestrutura, o que resultou na construção de um laboratório BPLC no segundar andar do Pavilhão Rocha Lima, em Manguinhos (RJ).

A inauguração contou com as presenças de José Carlos Felner, general manager da GSK no Brasil; Nísia Trindade Lima, presidente da Fiocruz; Mauricio Zuma,