Prêmio Capes de Teses

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) divulgou, nesta segunda-feira (31/8), o resultado do Prêmio Capes de Tese, edição 2015, concedido para as melhores teses de doutorado defendidas em 2014. Entre os vencedores, selecionados em cada uma das 48 áreas do conhecimento reconhecidas pela Capes nos cursos de pós-graduação, está uma tese do Instituto Oswaldo Cruz (IOC). O IOC também foi agraciado com uma menção honrosa, bem como a Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp), que recebeu duas menções. A cerimônia de entrega dos prêmios acontecerá no dia 10 de dezembro de 2015, em Brasília.

A tese Mecanismos de ativação plaquetária na dengue: contribuições para a patogênese, desenvolvida pelo biólogo Eugenio Damaceno Hottz, do Programa de Pós-graduação em Biologia Celular e Molecular do IOC, orientada pelos pesquisadores Patrícia Torres Bozza e Fernando Augusto Bozza, foi a vencedora na categoria Ciências Biológicas II. Outro destaque do Instituto Oswaldo Cruz foi a tese Avaliação de fatores epidemiológicos, micológicos, clínicos e terapêuticos associados à esporotricose. O estudo, que recebeu uma menção honrosa na categoria Medicina II, foi defendido por Dayvison Francis Saraiva Freitas, no Programa de Pós-graduação em Medicina Tropical, com orientação da médica Maria Clara Gutierrez Galhardo e co-orientação da bióloga Rosely Maria Zancopé Oliveira, pesquisadoras do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI).

Na categoria Saúde Coletiva, a Ensp recebeu menções honrosas com as teses Descentralização e regionalização em saúde no Brasil e na Espanha: trajetórias, características e condicionantes, da estudante de doutorado em Saúde Pública Adelyne Maria Mendes Pereira, sob orientação da pesquisadora Luciana Dias de Lima; e Análise da contribuição de um programa perinatal multifacetado para a redução da prevalência de cesarianas em um hospital privado: um subprojeto da pesquisa Nascer no Brasil, da estudante de doutorado em Epidemiologia em Saúde Pública Jacqueline Alves Torres, com orientação da pesquisadora Maria do Carmo Leal.

Erika Farias
Agência Fiocruz

Pin It