Sociedade

ação social

Evento oferecerá ao público diversos serviços médicos gratuitos, cadastro para vagas de emprego, dentre outros benefícios

No sábado, 29 de setembro, das 10h às 17h, o West Shopping, em Campo Grande, levará ao público da Zona Oeste uma mega ação social, em parceria com o CSM Conframerj (Centro Social Missionário). O evento tem entrada gratuita e acontecerá no estacionamento G2.

No espaço, os visitantes contarão com uma série de serviços médicos gratuitos, como atendimentos e exames de diversas especialidades; auxílio jurídico; cadastramento para vagas de emprego e a presença de órgãos públicos. Ainda no local, uma fábrica de óculos a preços populares e um estande oferecerá bolsas de estudo para faculdade e mais de 200

Radis

"A injustiça social mata em grande escala”. A frase é do inglês Michael Marmot, pesquisador do Departamento de Epidemiologia e Saúde Pública da University College London, que liderou a Comissão para os Determinantes Sociais da Saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS), durante palestra no Abrascão. A conclusão, ele mesmo indicou, já estava presente no relatório final da comissão, publicado em 2008 - Closing the gap in a generation: Health equity through action on the social determinants of health ou Redução das desigualdades no período de uma geração: Igualdade na saúde por meio da ação sobre os seus determinantes sociais.

O texto afirmava que “justiça social é uma questão de vida e morte”, pois afeta o modo

urnas funerárias

Em meio à terra escavada, os traços cerâmicos do que seria um tipo de urna começaram a se mostrar. O trabalho minucioso dos arqueólogos revelou não apenas uma, mas nove urnas funerárias de uma população indígena que habitou essa porção da Amazônia há cerca de 500 anos, próximo ao contato com os europeus. No Brasil, é a primeira vez que cientistas localizam e escavam urnas funerárias da chamada Tradição Polícroma da Amazônia diretamente do solo. A expedição foi coordenada por pesquisadores do Instituto Mamirauá.

Conhecida pela decoração com uso de pinturas vermelhas e pretas, a Tradição Polícroma da Amazônia é um conjunto de cerâmicas que fazem parte da pré-história da região.

“A Tradição Policroma da

Marie Françoise Ouedraogo

Em contraste com exposições sobre temas matemáticos altamente abstratos, uma palestra focada na questão social de gênero destacou-se no Congresso Internacional de Matemáticos (International Congress of Mathematicians 2018 – ICM 2018), que se realiza até 9 de agosto no Rio de Janeiro. Foi a fala de Marie Françoise Ouedraogo, professora do Departamento de Matemática da Université de Ouagadougou, em Burkina Faso, e presidente da African Women in Mathematics Association (AWMA). 

Doutorada pela Université de Ouagadougou, na capital de Burkina Faso, com tese sobre as superálgebras de Lie, Ouedraogo fez pós-doutorado sobre operadores pseudodiferenciais na Université Blaise Pascal, na França. Dedica, atualmente, grande parte de seu tempo e energia para motivar e encorajar as mulheres

debate

O Brasil está entre os países com maior taxa de mortes violentas no mundo. Essa realidade foi apresentada durante a mesa-redonda Violência e saúde, realizada (26/6) no Museu da Vida da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) em parceria com a Coordenação de Cooperação Social da Fiocruz, para debater as violências e violações de direitos humanos que ocorrem em territórios de favelas e regiões periféricas da cidade do Rio de Janeiro. Seis dias antes, houve uma operação policial no Complexo da Maré que resultou em sete mortes. A mensagem da roda de conversa foi clara: episódios como este precisam ser discutidos também à luz da saúde pública. 

Segundo o Ministério da Saúde, houve 62,5 mil homicídios

Foto: Daniel Montagner

A pesca artesanal do camarão de água-doce na foz do Rio Mazagão, no sul do Amapá, está passando por uma transformação que contribui para a sua sustentabilidade: o uso do matapi sintético. Matapi é uma armadilha em formato cilíndrico, cujo modelo tradicional é feito com tala de palmeiras e demanda uso intensivo de mão de obra para a coleta e tratamento dos cipós. Já a versão sintética é fabricada em PVC e mantém os mesmos formato e estrutura do tradicional e apresenta vantagens em duas frentes. Por um lado, o pescador passa a capturar camarões padronizados, no tamanho adequado para a comercialização, e seu uso poupa as palmeiras que servem de matéria-prima para a confecção

Suicídio na infância e adolescência

O suicídio é uma ação voluntária e intencional de quem encara a morte como a única solução para cessar um sofrimento que se torna incontrolável. De acordo com informações disponíveis no site do Ministério da Saúde (MS), trata-se de “um fenômeno complexo que pode afetar indivíduos de diferentes origens, classes sociais, idades, orientações sexuais e identidades de gênero”. Dados divulgados pelo Sistema de Informação sobre Mortalidade em 2017 informam que, no Brasil, uma média de 11 mil pessoas tiram a própria vida por ano, sendo essa a quarta maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos. No período de 2010 a 2015, uma análise identificou que os maiores índices de suicídio estão

Rosana Baeninger

O processo atual de migrações internacionais é completamente diferente do ocorrido no Brasil na virada do século 19 para 20. Se antes ele era muito centrado nas imigrações europeias, incluindo pedidos de refúgio após a Segunda Guerra Mundial, hoje ele é diverso, multirracial e derruba mitos que existiam até então, como o de que o Brasil é um país aberto e receptivo a todos.

“O século 21 anuncia uma migração não branca. É uma imigração negra e, em muitos casos, indígena. Ela não só traz uma diversidade étnico-racial muito grande, como desconstrói o mito de receptividade que temos e que estava pautado na migração europeia dos séculos 19 e 20”, disse a professora Rosana Baeninger, pesquisadora

Carlos Alberto Alves de Carvalho Pinto

O jurista e político Hélio Pereira Bicudo, que morreu aos 96 anos em São Paulo, no dia 31 de julho, ficou conhecido nacionalmente como promotor de Justiça nos anos 1970, ao obter a condenação de integrantes do chamado Esquadrão da Morte, organização paramilitar que executava criminosos e suspeitos de delitos. Igualmente, notabilizou-se pela defesa de temas ligados aos direitos humanos em dois mandatos de deputado federal ao longo da década de 1990.

Em um capítulo menos conhecido de sua biografia, Bicudo teve um papel de destaque na criação da FAPESP. Chefe da Casa Civil do governo do estado de São Paulo no início dos anos 1960, ele atuou como um elo entre a comunidade científica

Ricardo M. Pimenta

o impacto das novas tecnologias de informação e comunicação sobre a produção de conhecimento no campo das Ciências Humanas e, em especial, na História foi a pauta da apresentação de Ricardo M. Pimenta, no último Encontro às Quintas, promovido pelo Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz). O pesquisador do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT/UFRJ) proferiu a palestra A era digital, o neodocumentalismo e o desafio às humanidades digitais: perspectivas em torno do fazer científico histórico e sociológico no Centro de Documentação em História da Saúde (CDHS), em Manguinhos (RJ).

De acordo com o professor do programa de pós-graduação em Ciência da

migrantes

A questão dos refugiados e migrantes vai muito além das fronteiras que eles atravessam. Os desafios que eles enfrentam se desdobram em outros, envolvendo impactos sociais, culturais e econômicos que exigem políticas públicas e sensibilização da sociedade.

É em torno desse contexto que quatro pesquisadores discutirão no próximo dia 18, no Ciclo ILP-FAPESP de Ciência e Inovação, o tema “Refugiados e Migrantes – Vidas em Movimento”, tendo como foco os estudos científicos realizados sobre o tema e a Nova Lei de Migração Brasileira.

O evento, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, contará com a participação de Lúcia Machado Bógus, do Observatório das Metrópoles São Paulo/Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP), que abordará os imigrantes internacionais