Douglas Germano

O compositor, cantor e violonista paulistano Douglas Germano apresenta-se no dia 8 de dezembro, domingo, no Bar do Alemão, às 19h30. O repertório traz faixas de seu terceiro disco autoral, Escumalha, lançado neste ano, além de obras de diversas fases de sua carreira como “Maria de Vila Matilde”, música gravada por Elza Soares.

Escumalha, na definição do dicionário, em sentido figurado, significa “escória social; gente de baixa estirpe, ralé, escuma”. Ou seja, gente alheia à tecnologia, entre meia e terceira idades, sem representação em espaços sociais e culturais das metrópoles; gente que socializa nos vagões de trem a caminho do trabalho, no terminal de ônibus, no botequim de passagem, na fila do SUS, na igreja, na rua do bairro onde mora; gente que vive nas periferias das grandes cidades. É dessas gentes que Douglas Germano trata neste trabalho cheio de rezas, gingas e sonoridades autênticas.

No show no Bar do Alemão, o acompanhamento fica a cargo de João Poleto (sax e flauta) que também assina a direção musical do disco.

Conduzido ao universo das escolas de samba ainda garoto por seu pai, José Germano, percussionista do Conjunto Acadêmicos da Guanabara, Douglas Germano é hoje um compositor paulistano de prestígio. Começou a compor por volta de 1986, sendo gravado pela primeira vez, em 1991, pelo grupo Fundo de Quintal. Muitos outros intérpretes já gravaram suas músicas, entre eles: Fabiana Cozza, Carlinhos Vergueiro, Marcelo Pretto, Kiko Dinucci, Juçara Marçal, Thiago França, Metá-Metá, Juliana Amaral, Karina Ninni, Railídia Carvalho, Paula Sanches, Janaína Fellini e Nathália Mattos.

Douglas estudou violão com Ruy Weber, por meio do qual, em 1991, conheceu o saxofonista e flautista João Poleto, que o convidou a integrar o grupo de músicos dos espetáculos da Cia. Teatro X, onde seguiu por mais de 10 anos, executando e compondo as trilhas dos espetáculos Zumbi, Espólio, Bando de Maria, Calígula (finalista no Prêmio Shell 2003 na categoria de Melhor Trilha Original) e O Cobrador. Em 1998, ele participou do coletivo Mutirão do Samba, ao lado de Kiko Dinucci, Antônio Carlos Moreira, Everaldo F. Silva e Paqüera. Em 2004, foi convidado por Kiko a integrar o Bando Afro Macarrônico. Em seguida, Douglas e Kiko lançaram o disco Duo Moviola com suas parcerias, um trabalho irreverente, urbano, cotidiano e com olhar voltado para o próprio tempo.

Em 2011, lançou seu primeiro disco solo, ORÍ (digital), que o levou à final do 23º Prêmio da Música Brasileira, na categoria Melhor Cantor de Samba. Em 2016, ganhou o Prêmio Multishow na categoria Música do Ano por “Maria de Vila Matilde”, gravada por Elza Soares, além de ser indicado ao Grammy Latino como Melhor Música em Língua Portuguesa. No mesmo ano, Douglas lançou o segundo disco solo, Golpe de Vista (independente) com composições feitas entre 1990 e 2015 e com instrumentação diminuta: violão, cavaquinho e caixa de fósforos. O disco lhe rendeu indicação ao Prêmio APCA 2016. Em 2019, Douglas chega com seu terceiro disco autoral. Escumalha.

Serviço

Show: Douglas Germano
Data: 8 de dezembro – domingo, às 19h30
Ingresso: R$ 30,00. Reservas pelo WhatsApp: (11) 99814-2808

Bar do Alemão
Av. Antártica, 554 - Água Branca, São Saulo/SP.
Tel: (11) 3862-5975. Reservas pelo Whatsapp: (11) 99814-2808
Abertura da casa: 18h. Capacidade: 40 lugares
Aos menores de 18 anos a casa não serve bebida alcoólica.
Estacionamento conveniado: R$ 8,00 (valor fixo c/ carimbo do bar) - Av. Antártica, 519.
Acesse a programação: https://www.facebook.com/obardoalemao | @obardoalemao

Pin It