Detalhe da capa do livro Classicismo Moderno

O livro de Ana Gonçalves Magalhães pesquisa a importância estética das obras de meados do século 20

A história da formação do acervo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC USP) é contada sob um viés inusitado. A pesquisadora e professora do MAC Ana Gonçalves Magalhães resgata a formação do primeiro núcleo da instituição integrado por 71 pinturas italianas, adquiridas pelo casal Ciccillo Matarazzo e Yolanda Penteado, revelando a importância da instituição na divulgação dos mestres do século 20. A pesquisa é apresentada no livro Classicismo Moderno – Margherita Sarfatti e a Pintura Italiana no Acervo do MAC USP, lançado pela Editora Alameda.

Natureza Morta - Giorgio Morandi
Natureza Morta, de Giorgio Morandi – Imagem: Acervo MAC

“As obras do núcleo inicial do antigo Museu de Arte Moderna de São Paulo, hoje no MAC USP, só recentemente recebem a atenção dos estudiosos, e muito desse interesse deve-se à autora deste livro”, observa Tadeu Chiarelli no texto da orelha do livro. O professor da Escola de Comunicações e Artes da USP e ex-diretor do MAC considera que a pesquisa de Ana Magalhães valida a importância estética do Núcleo Italiano, integrado por obras célebres como o único Autorretrato, de Amedeo Modigliani, o Enigma de Um Dia, de Giorgio de Chirico, a Natureza Morta, de Giorgio Morandi , A Adivinha, de Achille Funi, ou a escultura Formas Únicas de Continuidade no Espaço,de Humberto Boccioni, entre outras. Daí considerar a pesquisa fundamental para os estudiosos da arte brasileira e pelo papel do País no âmbito do circuito cultural internacional em meados do século 20. “Estudando-o tendo em mente seu parentesco com outros acervos formados na Europa no mesmo período, Ana Magalhães coloca aquelas obras do antigo MAM numa perspectiva alargada, tirando-lhes, em definitivo, a pecha de provincianas, fruto de um colecionismo rastaquera. É interessante também como a autora, ao mapear aquelas aquisições, define a importância da crítica italiana Margherita Sarfatti para a arte brasileira, e os contatos entre seu pensamento e o de alguns sérios nomes da crítica local.”

Yolanda Penteado e Ciccillo Matarazzo na frente da obra Enigma de Um Dia, do pintor Giorgio de Chirico
Yolanda Penteado e Ciccillo Matarazzo na frente da obra Enigma de Um Dia, do pintor Giorgio de Chirico – Imagem: Acervo MAC

Na avaliação do professor de História de Arte da Universidade Estadual de Campinas, Jorge Coli, que apresenta o livro, Ana Magalhães não se limita a um estudo de obras formal e iconográfico. “Mas a autora fez tudo isso e muito mais”, assinala. “Retraçou o percurso de cada obra, suas origens, seus intermediários, suas chegadas ao museu, as exposições das quais participou. Em historiadora perfeita, ela foi buscar os sentidos dessas trajetórias. Trouxe à luz, de maneira articulada e aprofundada, o papel fundamental de Ciccillo Matarazzo para a cultura paulista e brasileira, e, neste papel, o projeto de reunir uma coleção para um novo museu de arte moderna em São Paulo.”
Coli destaca também a análise feita sobre a crítica Margherita Sarfatti e o seu importante papel ao orientar Ciccillo Matarazzo na compra das obras do Núcleo Italiano. “Era de uma rica família judia, amante de Mussolini e a primeira personalidade do mundo das artes italianas.”

A Adivinha, de Achille Funi
A Adivinha, de Achille Funi – Imagem: Acervo MAC

Ana dedica um capítulo para a importância da crítica de arte. “A personagem-chave por trás das aquisições Matarazzo é digna de um romance”, relata. “E não à toa foi tema de diversos estudos e ao menos de duas massivas biografias, que absorveram seus respectivos autores em anos de pesquisa.”
O trabalho de Ana Magalhães é uma referência para os pesquisadores de arte brasileira e internacional. Propõe uma reflexão sobre a forma como as obras do Núcleo Italiano foram observadas e divulgadas aqui no País, ganhando uma dimensão inesperada como obras-primas. Importante destacar também a sua importância na trajetória do MAC e dos artistas brasileiros.

Classicismo Moderno
Classicismo Moderno

Classicismo Moderno – Margherita Sarfatti e a Pintura Italiana no Acervo do MAC USP, de Ana Gonçalves Magalhães – lançamento Editora Alameda. O livro tem 256 páginas. Preço: R$ 42,00.

Pin It