Ciência

genética de arbovírus

De 13 a 27 de maio, pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e de instituições nacionais e internacionais percorrerão as cidades de Cuiabá (MT), Campo Grande, Coxim e Chapadão do Sul (MS), Goiânia (GO) e Brasília (DF) com o objetivo de mapear os arbovírus circulantes na região Centro-Oeste do país. A bordo de um ‘motorhome’, onde foi montado um laboratório móvel, os cientistas estarão munidos de uma tecnologia inovadora de sequenciamento genético que cabe na palma da mão. O grupo, que percorrerá cerca de 12 mil quilômetros, integra o projeto Zibra 2: Mapeamento genético do Zika e outros arbovírus no Brasil. A iniciativa tem financiamento do Departamento de Ciência e Tecnologia (Decit) e da Secretaria

Londa Schiebinger

Dez drogas foram recentemente retiradas do mercado norte-americano por causa de seus efeitos na saúde. Oito delas apresentavam graves riscos para mulheres. Essas drogas custaram bilhões de dólares para serem desenvolvidas. E, quando falharam, provocaram morte e sofrimento.

“Não podemos nos dar ao luxo de errar”, disse Londa Schiebinger, professora de História da Ciência na Stanford University e diretora do Gendered Innovations in Science, Medicine, Engineering, and Environment Project, em palestra apresentada durante a 8ª Reunião Anual do Global Research Council (GRC), em São Paulo.

Exemplos como esse levam a questionamentos inevitáveis: “Podemos aproveitar o poder criativo da análise de sexo e gênero para a descoberta? Podemos considerar que o gênero adiciona uma dimensão valiosa

jogos de divulgação científica

Um jogo de tabuleiro onde os participantes precisam avançar por um caminho dentro do campus da Fiocruz, podendo cair em “casas” onde há vírus, cientistas ou perguntas relacionadas às ciências — passam à frente ou retrocedem, dependendo da resposta, e ganha quem chegar mais rápido ao posto de vacinação. Uma disputa de cartas em que vence aquele que ficar de mãos vazias primeiro e na qual, além das cores e números do baralho, há informações sobre viroses e pesquisadores. Assim são os jogos Caminhos de Oswaldo e Imune, os dois recursos educacionais cujos protótipos a Fundação vai apresentar à comunidade durante o Simpósio Avançado de Virologia Hermann Schatzmayr, entre os dias 14 e 16 de

fago ligado a vasos sanguíneos

Uma molécula desenvolvida por pesquisadores brasileiros e norte-americanos e nomeada FRW apresentou em testes com camundongos a capacidade de se ligar apenas aos vasos sanguíneos do cérebro quando injetada na circulação. A técnica permitiu um mapeamento inédito do sistema vascular cerebral, abrindo caminho para a criação de novos exames de imagem para diagnóstico de doenças como Alzheimer e Parkinson.

O trabalho teve apoio da FAPESP e foi coordenado por Ricardo José Giordano, professor do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (IQ-USP). Os resultados foram publicados na revista Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).

Como explicou Giordano, o principal obstáculo para o desenvolvimento de drogas capazes de se ligar aos vasos sanguíneos

Jeffrey Sachs

O papel da pesquisa científica e da comunidade do conhecimento na promoção do desenvolvimento sustentável foi o tema de uma videoconferência realizada pelo economista e analista político norte-americano Jeffrey Sachs no dia 3 de maio, durante a 8ª Reunião Anual do Global Research Council (GRC).

A palestra ocorreu no último dia do encontro internacional que reuniu, em São Paulo, dirigentes de agências de fomento à pesquisa de meia centena de países dos cinco continentes. A reunião do GRC foi organizada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), pelo Consejo Nacional de Investigaciones Científicas e Técnicas (Conicet), da Argentina, e pela German Research Foundation (DFG), da Alemanha.

Autor do best-seller The

Líquido da Casca de Castanha de Caju

Cerca de 65% da composição do Líquido da Casca de Castanha de Caju (LCC) é formada por ácidos anacárdicos, uma classe de substâncias com atividade antioxidante e antimicrobiana e alguns estudos mostram potencial de ação antitumoral e antiparasitária (veja no fim da matéria). Pesquisadores do Laboratório Multiusuário de Química de Produtos Naturais da Embrapa Agroindústria Tropical (CE) desenvolveram um processo para extrair, purificar e quantificar esses compostos, o que abre espaço para o surgimento de uma nova rota de exploração comercial na cajucultura.

Conforme o pesquisador da Embrapa Edy Brito, embora a atividade biológica dos ácidos anacárdicos seja conhecida desde a década de 1940, a fonte mais abundante dessas substâncias é desperdiçada. Nas grandes indústrias

Fernando Quevedo, do ICTP-Trieste

Pesquisadores de diversos países latino-americanos formaram um grupo de trabalho com o objetivo de reunir subsídios para a produção de white papers – relatórios com informações e propostas – sobre possíveis pesquisas colaborativas a serem realizadas, e a infraestrutura necessária para isso, em três grandes campos de estudos: Física de partículas de alta energia, Astrofísica e Cosmologia.

A articulação que resultou na criação do “grupo preparatório” ocorreu durante o primeiro Fórum Estratégico Latino-Americano para Infraestrutura na Pesquisa (LASF4RI), realizado em São Paulo nos dias 30 de abril e 1º de maio (leia mais em http://agencia.fapesp.br/ 30389/).

Sediado pelo Instituto Sul-Americano para Pesquisa Fundamental (ICTP-SAIFR), o fórum, realizado no Instituto de Física Teórica da Universidade Estadual

Journal of Immunology Research

A célula T CD8+ é considerada a principal defesa contra o Vírus Linfotrópico da Célula Humana do tipo 1 (HTLV-1), um retrovírus que está associado a graves doenças neurológicas, degenerativas e hematológicas. Entretanto, a célula chamada “Natural Killer” (NK) também contribui para a produção de citotocinas, e, assim como a T CD8+, é capaz de destruir células infectadas através do mecanismo de citotoxicidade.

Um estudo desenvolvido pelos pesquisadores da Fiocruz Bahia, Edgar M. Carvalho, Maria Fernanda Grassi e Lucas P. Carvalho, em parceria com outras instituições, avaliou o papel da célula NK em portadores de HTLV-1 com Paraparesia Espástica Tropical/Mielopatia (HAM/TSP, sigla em inglês), doença associada a esse vírus, que causa uma degeneração gerando fraqueza

Pachycerianthus magnus

Com apenas 15 centímetros de comprimento, a anêmona-de-tubo Isarachnanthus nocturnus é a espécie animal com o maior genoma mitocondrial já observado. Foram sequenciados, ao todo, 80.923 pares de base – os blocos que compõem o DNA. Nos humanos, o genoma encontrado na mitocôndria, organela responsável por gerar energia para a célula, é composto por 17 mil pares de base.

Os dados são de um artigo publicado recentemente na revista Scientific Reports.

A pesquisa foi coordenada por Sérgio Nascimento Stampar, professor da Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Assis. Contou com apoio da FAPESP por meio do projeto “Evolução e diversidade de Ceriantharia (Cnidaria)”, na modalidade Auxílio Regular, e do programa SPRINT,

Sistema Solar

Observado pela primeira vez em 2004, Haumea é um planeta anão localizado além da órbita de Plutão, em uma região do Sistema Solar chamada de Cinturão de Kuiper. Foi por causa da descoberta desse e de outros planetas anões que, em 2006, Plutão foi oficialmente desbancado da categoria de planeta.

Haumea foi reconhecido oficialmente como planeta anão em 2008. Tem um formato alongado que lembra uma bola de futebol americano, além de duas luas e um anel.

Por ter um anel, Haumea integra o grupo de objetos do Sistema Solar composto por Saturno, Urano, Netuno e Júpiter, além dos asteroides Chariklo e Chiron, que desenham órbitas entre Júpiter e Netuno.

O anel de Haumea nunca

eclipse solar

Há 100 anos a observação do eclipse solar em Sobral, no Ceará, comprovou a teoria da relatividade geral de Albert Einstein. Em comemoração ao centenário do evento, o Instituto Sul-Americano para Pesquisa Fundamental (ICTP-SAIFR) promoverá o curso Relatividade na Sala de Aula, no dia 19 de maio de 2019.

O curso é organizado pelo ICT-SAIFR em parceria com o Perimeter Institute for Theoretical Physics (Canadá) e o Instituto Serrapilheira.

Os professores aprenderão como levar temas sobre relatividade para a sala de aula por meio de atividades práticas e criativas desenvolvidas pelo Perimeter Institute e traduzidas para o português pelo ICTP-SAIFR com o apoio do Instituto Serrapilheira. Eles também participarão de uma sessão de perguntas e