Piano na Praa recebe Villani-Crtes e Marcelo Ghelfi

01/10/2010 11:12 por Esteta Beleza e Arte em Msica e lida 2067 vezes.

Piano na Praa recebe Villani-Crtes e Marcelo Ghelfi

Edmundo Villani-Côrtes

Próximo de completar 80 anos, o compositor e maestro Edmundo Villani-Côrtes apresenta-se em concerto solo, dia 16 de outubro, sábado, na série Piano na Praça da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, às 16 horas. Villani-Côrtes é considerado um dos mais notáveis músicos brasileiros e um dos compositores eruditos mais tocados do País.

Esta edição do Piano na Praça tem um caráter especial, marca um encontro de duas gerações: Marcelo Ghelfi, que faz o espetáculo de abertura desta tarde musical, às 15 horas, foi aluno de Villani-Côrtes. Ghelfi vai homenagear o mestre tocando uma composição sua durante o concerto.

Os concertos da Série Piano na Praça acontecem ao ar livre, na Praça Dom José Gaspar s/nº, no centro de São Paulo, a cada 15 dias, sempre com pianistas de expressão nacional e internacional, tanto no âmbito popular quanto erudito.

O programa de Edmundo Villani-Côrtes é formado por composições próprias (“Improviso”, “Balada Para as Flores” e “Abertura da Ópera Poranduba”), inclusive uma série de canções para piano solo: "Valsinha de Roda", "Confissão", "Para Sempre", "Papagaio Azul", "Fonte Eterna" (letra de Laerte Freire) e "Canção de Carolina", "Balada dos 15 minutos", "Alma da Natureza", "Em Cantos do Brasil" (estas ganharam letra de Julio Bellodi). O roteiro tem ainda 5 Prelúdios para piano solo (nº 2 , 3, 4, 5 e 9) e a Série Brasileira Opus 8 (prelúdio, dansa, movimento em 3/4, choro em forma de rondó).

Marcelo Ghelfi interpreta “Lamentos" (Pixinguinha), "Na Baixa do Sapateiro" (Ary Barroso), "Certas Canções" (Milton Nascimento), “Serra da Boa Esperança” (Lupicínio Rodrigues), "Luiza" (Tom Jobim), “Eleanor Rigby” (The Beatles), “Memórias de um Abuelo” (Aldo Lopez), "Adios Nonino" (Astor Piazzolla), "Prelúdio em dó Menor" (Bach) e uma composição surpresa de Edmundo Villani-Côrtes, além de músicas próprias ("Suíça" e “Boogie dos Boys”).

Série: Piano na Praça
Dia: 16 de outubro de 2010 – Sábado
15 horas: Marcelo Ghelfi
16 horas: Edmundo Villani-Côrtes
Praça Dom José Gaspar, s/nº - Centro – São Paulo/SP – Metrô República
Concerto o ar livre – Grátis – Classificação etária: Livre
Informações: (11) 3397-0160 - Nº de lugares: 300 cadeiras

Edmundo Villani-Côrtes

Edmundo Villani-Côrtes, mineiro de Juiz de Fora, que comemora 80 anos em novembro, possui uma obra de, aproximadamente, 250 composições escritas para várias formações: orquestra sinfônica, banda sinfônica, coro, voz, piano, música de câmara etc. Sua obra não está atada a um estilo específico ou escola de composição. Ele é tido como um experimentador: envereda-se por um caminho que desafia classificação. Seu variado interesse e experiência o fazem igualmente confortável com a música popular, jazz e erudita. Devido seu estilo inclassificável, é considerado como não convencional.

É reconhecido por músicos e instituições por meio de apresentações, gravações e prêmios. Suas composições foram gravadas em mais de 50 CDs no Brasil e no Exterior. Sua popularidade é fruto do interesse que seu estilo desafiador e inovador desperta nos músicos; e resultado da mistura de originalidade e arte. As músicas de Villani, com suas variedades de estilo, influências e contornos melódicos estão entre as melhores produções no gênero do continente. Seu trabalho está entre os melhores exemplos da música brasileira, devido sua habilidade de resumir tantas tendências nacionais.

Marcelo Ghelfi

Marcelo Ghelfi é bacharel em Composição e Regência. Gravou os álbuns Marcelo Tupynambá – chorinhos paulistas (1983) e Vinícius, Sem Mais Saudades (2004, duo com Celine Imbert, dedicado a Vinícius de Morais), além de tocar em seis CDs da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de SP, da qual é pianista titular, desde 1996, participando de dezenas de concertos como solista, inclusive em partituras compostas por Cyro Pereira. Atuou também em concertos no Canadá, EUA e Suíça. Como pianista, acompanhou a cantora Zizi Possi (com a Orquestra Sinfônica Petrobrás) e os artistas João Bosco, Leila Pinheiro, Ivan Lins e Ed Motta, estes com a Orquestra Jazz Sinfônica.

Ghelfi escreveu arranjos para orquestras e convidados como Dory Caymmy, Jane Duboc, Luís Melodia, Morais Moreira, Paulinho da Viola, Francis Hime, Lenine e outros. Atuou como regente de seus próprios arranjos em concertos e gravações para a TV Cultura. Escreveu arranjos para a “Camerata Bachiana” (concertos regidos por João Carlos Martins com participação da cantora Diana King e de Milton Nascimento) e foi arranjador convidado do I Festival Internacional de Trilhas de Cinema (RJ) ao lado de outros maestros. A Sinfônica Petrobrás, sob a regência de Júlio Medaglia, apresentou duas suítes de sua autoria: “O Pagador de Promessas” e “Abril Despedaçado”.